segunda-feira, 16 de maio de 2011

EDUCAÇÃO E CIDADANIA



Bonecas Negras serão fabricadas em parceria com Clube de Mães de Trombudo Central

A Secretaria de Educação em parceria com o Clube de Mães Dona Alice de Trombudo Central, irão fabricar onze boneca negras para a implementação da cultura afro-brasileira no currículo escolar. A iniciativa foi bem aceita pelas 25 mulheres participantes do clube, que ficaram felizes com o convite.
As bonecas vão ajudar na abordagem de temas como o combate do racismo e o fim da desigualdade social, de forma descontraída para os pequenos. Além disso, serão utilizadas cirandas, pinturas com mãos, entre outras brincadeiras que podem ser trabalhadas em sala. As bonecas negras farão parte do “Baú Encantado”, onde terão a companhia de bonecas de várias etnias e até mesmo deficientes, sem algum membro do corpo.

Conheça o Clube de Mães
A entidade sem fins lucrativos foi fundada em 1974. O clube de mães, hoje nomeado Clube de Mães Dona Alice de Trombudo Central, iniciou em uma sala da Igreja Católica do município e é regida por estatuto, tendo uma nova diretoria eleita a cada dois anos. Hoje, com sede própria, junto ao Salão do Clube dos Idosos, já conquistaram muitas coisas em meio à descontração e ao trabalho, como a cozinha do espaço, construída com o auxílio da comunidade.
Os encontros são realizados todas as quartas-feiras, das 13h às 17h e a presença é registrada no livro de frequência. Para participar é simples. Segundo a tesoureira, Miriam Cristofolini, basta chegar no local e aprender ou ensinar trabalhos manuais.
E pra quem pensa que elas passam as quartas apenas entre quatro paredes se engana. É realizado um passeio por ano com as participantes e todas recebem um presente ao final do ano também. “No ano que o passeio for maior, o presente é um pouco mais modesto e vice-versa.”, revela Miriam.
Este ano, o destino da jornada é Pirituba e a data agendada é 21, 22 e 23 de outubro. Mas, para ter direito ao passeio e ao presente elas têm que suar a camisa. É necessário ter 50% de presença nos encontros; doar ou apresentar no mínimo dez trabalhos manuais anualmente; vender pelo menos uma cartela da rifa, de 20 bilhetes, por ano; pagar a mensalidade de R$3,00 e pagar o bingo realizado entre elas semanalmente, no valor de R$ 0,50.
Além disso, elas fazem as doações dos brindes do bingo, que segue o esquema de que quem ganha, traz o brinde da próxima semana. “Pode ser fruta, verdura, trabalhos manuais ou até mesmo algo comprado para o brinde, a escolha é da pessoa.”, ressalta Miriam. O café da tarde também fica por conta delas, bem como a limpeza do espaço ao final de cada encontro.

“Se não sabe aprende e se sabe ensina”

“Se não sabe aprende e se sabe ensina, o que vale aqui é a troca de experiência”, ressalta Miriam, sobre o que é importante para o Clube de Mães, a integração e o desenvolvimento de habilidades manuais que tornam o dia mais descontraído. Lá, é trabalhado crochê, tricô, bordado, pintura, costura, fabricação de roupas de cama e de neném.
E quem pensa que fica tudo amontoado no fundo do armário está enganado. As roupas de neném, por exemplo, são para doação ao Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) de Trombudo Central. “São 17 peças por sacola, contendo cada uma cobertores, travesseiro, um conjuntinho de tricô, fraldinhas e várias outras roupinhas que são distribuídas para as gestantes pelo CRAS”, comenta Miriam.
As ações não param por aí. É realizada a cada 15 dias uma feira para exposição e venda dos produtos na sala ao lado do Clube dos Idosos. Com os valores arrecadados ao final de cada anos são comprados presentes de Natal para cada criança do Centro Educacional Infantil Menino Jesus.
Também com o dinheiro arrecado, é doado o café para o encerramento da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), no natal. Além disso, muletas, lençóis e fronhas são doados ao hospital local, bem como brindes para as rifas da Igreja Católica e do Clube dos Idosos. Quem passa por catástrofes naturais, como as enchentes, não fica desamparado. As mulheres se juntam e vão em busca de doações da comunidade e juntamente com as do clube enviam aos necessitados, como foi o caso de Mirim Doce.

Para evitar os males da rotina

“Aqui eu me sinto bem, posso fazer algo em benefício dos outros. Eu converso, brinco, me distraio e saio daqui mais leve.”, comenta Elzira Degenhardt, de 67 anos. A feição de felicidade e tranquilidade não fica apenas no rosto desta jovem senhora. Quem entra no ambiente logo se sente acolhido pelo carinho e amizade desprendidos por cada mulher componente do clube.
São histórias de vida contadas em cada ruga e cada mão calejada de tanto trabalhar, seja nas obras manuais ou ainda guardadas pelo tempo. Várias passagens de vida são reveladas e em cada uma, uma certeza: sair da rotina. É isso o que revela Odila Campregher, uma senhora concentrada nas atividades, mas que aos poucos se deixa conhecer. “É uma parada na rotina. Aqui, eu fiz amizades, converso... é tudo de bom poder ajudar o próximo, traz satisfação pessoal”, comenta Odila.
Para ver a alegria em pessoa não precisa ir muito longe. Basta sentar ao lado de Osvaldina Fusinato, 83 anos. “Fui professora por 33 anos e por 37 casada com o mesmo homem. Hoje, há 16 anos viúva, me sinto viva através das conversas.  Desta forma, me distraio e convivo com outras pessoas”, conta ela em meio a sorrisos. Em meio a descontração, Osvaldina ainda revela estar a procura do príncipe encantado, afinal de contas, “é ruim com eles e pior sem eles”, comenta em meio a brincadeira.
Conhecer outros lugares, outras pessoas e ajudar o próximo. Essa parece ser a principal atividade do clube, sem contar o desenvolvimento das atividades manuais.
Fonte Conecte Mídia 

5 comentários:

  1. ESTAS SENHORAS DESEMPENHAM UM BONITO PAPEL SOCIAL ALEM DE SE DIVERTIREM
    PARABÉNS

    ResponderExcluir
  2. PARABÈNS....QUE BOM QUE VOCÊS EXISTEM.FICO MUITO FELIZ QUANDO VEJO MINHA ELZIRA DEGENHARDT CHEGAR DOS ENCONTROS SEMANAIS NO CLUBE DE MÃES E PERCEBER NO SEU OLHAR ,NA SUA EXPRESSÃO A FELICIDADE DE ESTAR SENDO ÚTIL AJUDANDO A COMUNIDADE.VOCÊS SÃO EXEMPLO PARA NÓS.
    MÁRCIA MARISTELA

    ResponderExcluir
  3. NO COMENTÁRIO ANTERIOR ESQUECI ANTES DO NOME ELZIRA ESCREVER MÃE...SIM MÃE COM MUITO ORGULHO POR VOCÊ PARTICIPAR JUNTAMENTE COM SUAS AMIGAS DE AÇÕES TÃO IMPORTANTES PARA AS OUTRAS PESSOAS.ADMIRO TODAS VOCÊS PELO JEITO COMO CULTIVAM A AMIZADE.PELO RESPEITO QUE TEM PELAS PESSOAS.
    MÁRCIA MARISTELA

    "As criaturas esquecerão o que você disse, esquecerão o que você fez; mas nunca esquecerão como você as tratou". (Autor desconhecido)

    ResponderExcluir
  4. EU SOU MUITO FELIZ POR PODER PARTICIPAR DO CLUBE DE MÃES DONA ALICE DE TROMBUDO CENTRAL PORQUE POSSO AJUDAR PESSOAS QUE NECESSITAM DE AJUDA;HOSPITAL,JARDINS DE INFÂNCIA,APAE ,ASSISTÊNCIA SOCIAL E OUTROS.AGRADEÇO A TODAS AS MINHAS AMIGAS QUE COLABORAM JUNTAMENTE COMIGO EM TODAS AS AÇÕES.CONVIDO MAIS PESSOAS A SE JUNTAREM A NÓS.PARABÉNS A DIRETORIA DO CLUBE PELAS INICIATIVAS.

    ELZIRA DEGENHARDT

    ResponderExcluir
  5. D. Alzira, a senhora como as demais voluntárias do clube de mães são pessoas extremamente especiais e comprometidas com o bem social. Ajudar na construção de bonecas para que o municipio, possa tratar de um tema tão importante quanto a Diversidade com crianças tão pequenas, é perceber que podemos ter um mundo diferente, melhor, humano, solidário...
    tenho muito orgulho de poder estar com vocês e contar com esta maravilhosa ajuda e pude perceber que a senhora além de linda por fora é mais linda ainda por dentro.
    obrigada por tudo.
    com carinho: Glaucia

    ResponderExcluir

Eu aguardo as sementes que você possa vir a lançar. Depois selecioná-las e plantar.