terça-feira, 19 de maio de 2015

A INDISCIPLINA EM SALA DE AULA


A indisciplina costuma tirar o sono e muitas vezes a saúde de muitos professores. Saiba como lidar com ela.
A indisciplina em sala de aula é um grande gerador de strees em sua vida? Os alunos não param sentado nem um minuto? Não terminam ou nem começam as tarefas? Chegam ao cúmulo de brigarem em plena sala de aula? A disciplina também é um conteúdo e deve faz parte do planejamento.
Leia Mais...
Não sou perita no assunto. Nas turmas que lecionei com certeza encontrei e ainda encontro problemas de indisciplina, mas nunca nunca tive casos sérios e que não pudesse resolver sem muito alarde.
Acho crucial a conversa, com pais e alunos, no primeiro dia de aula. É interessante discutir com os alunos os direitos e deveres que eles possuem e porque quando um dever é transgredido, o professor precisa tomar uma medida quanto a isso. Deixar bem claro este ponto é importante. As crianças precisam perceber que o "chamar atenção" é algo necessário para manter a ordem em sala e não um ataque pessoal ao aluno. Muitos alunos são indisciplinados por acreditarem que o professor nutre um sentimento negativo por ele.
Quando for chamar a atenção, caso seja possível vá até o aluno. Eu confesso que não consigo fazer isso, mas é o indicado pelos nossos "amados" psicólogos educacionais (rs). Então um dia, uma amiga pedagoga ensinou que quando não conseguir ir até o aluno, e precisar dar um "presta atenção" na criança, não a chame pelo nome mas por garoto/ garota, menino/ menina, pelo amor de Deus não deem apelido. A explicação para isso é que muitas vezes a criança quer chamar a sua atenção ou a dos colegas e chamá-la pelo nome reforça a atenção, mesmo que não seja com uma atitude boa. Deixa para chamá-la pelo nome para tecer elogios.

Palavra de colega: FUNCIONA! Tive uma aluna que insistia em xingar, pegar material alheio, beliscar e por aí ia... Eu sempre chamava a atenção, logicamente a chamando pelo nome. Qual foi a minha surpresa quando troquei o nome por "menina", e usava o nome dela somente para os elogios. Não deu um mês as coisas foram melhorando visivelmente. Claro que longas conversas em particular também ajudaram.

As regras da sala devem ser elaboradas e discutidas em grupo, não chegue com as regras prontas. Principalmente com os maiores, isso é fatal para que eles não se sintam na obrigação de obedecê-las. Não seja autoritária (o), tenha autoridade. Escute, dialogue.

Seja companheira (o) das crianças, mas saiba impor limites. Acho o cúmulo o professor permitir que durante a execução de exercícios os alunos andem pela sala contando sobre a briga dos vizinhos ou algo do gênero. Claro que você deve planejar momentos em sala para este tipo de conversa, para isso servem as rodas de conversa. Neste momento eles são livre para falar, claro que respeitando os colegas ou o tema que você propôs. Na hora dos exercícios o único assunto será sobre a atividade em questão. Eu dou a atenção e demonstro que tenho carinho por eles em vários momentos sem deixar que isso gere indisciplina.

Importante: não fique o tempo todo sentada (o) em sala de aula, circule e passe pelas carteiras. Isso ajudará com que eles permaneçam sentados. Ficar a aula inteira sentada (o), somente chamando a atenção da sua carteira não funciona, acredite!

Mude diariamente os alunos de lugares. Antes de iniciar a aula coloco os crachás nas carteiras, então raramente eles sentam no mesmo lugar. Isso evita a correria na entrada e brigas por disputa de lugares.

Coleguinhas, espero que não tenha parecido arrogante neste post. Mas a intenção é ajudar, principalmente os novos. Este é o primeiro de uma série de post sobre Indisciplina e caso tenham alguma dúvida, observação ou dica por favor sintam-se a vontade!

Aprenda mais:
Reportagem: A Indisciplina como Aliada 
Entrevista com psicólogo: "A Disciplina é um conteúdo como qualquer outro"Livro: Disciplina - Limite na Medida Certa (Içami Tiba)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu aguardo as sementes que você possa vir a lançar. Depois selecioná-las e plantar.