quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Laboratório




Prezados,

O livro do Prêmio Inovação 2011 já está disponível para download no site do Laboratório: http://laboratorio.inep.gov.br/publicacoes .

Abs,

Monia de Castro Guaitanele
Assistente da Diretoria de Estudos Educacionais
Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - INEP
W3 Sul, SRTVS 701, Quadra 3, Bloco M, Edifício Dário Macedo - 6º Andar, Sala DIRED
CEP: 70340-909
Brasília - DF
Fone: 61.2022-3915

Digno de Análise!


Brasil fica em penúltimo lugar em ranking global de qualidade de educação

Atualizado em  27 de novembro, 2012 - 09:52 (Brasília) 11:52 GMT
Estudantes | Foto: PA
Brasil ficou em penúltimo lugar em ranking global que mede qualidade de sistemas educacionais
O Brasil ficou em penúltimo lugar em um ranking global de educação que comparou 40 países levando em conta notas de testes e qualidade de professores, dentre outros fatores.
A pesquisa foi encomendada à consultoria britânica Economist Intelligence Unit (EIU), pela Pearson, empresa que fabrica sistemas de aprendizado e vende seus produtos a vários países.
Em primeiro lugar está a Finlândia, seguida da Coreia do Sul e de Hong Kong.
Os 40 países foram divididos em cinco grandes grupos de acordo com os resultados. Ao lado do Brasil, mais seis nações foram incluídas na lista dos piores sistemas de educação do mundo: Turquia, Argentina, Colômbia, Tailândia, México e Indonésia, país do sudeste asiático que figura na última posição.
Os resultados foram compilados a partir de notas de testes efetuados por estudantes desses países entre 2006 e 2010. Além disso, critérios como a quantidade de alunos que ingressam na universidade também foram empregados.

Ranking Pearson-EIU

  1. Finlândia
  2. Coreia do Sul
  3. Hong Kong
  4. Japão
  5. Cingapura
  6. Grã-Bretanha
  7. Holanda
  8. Nova Zelândia
  9. Suíça
  10. Canadá
  11. Irlanda
  12. Dinamarca
  13. Austrália
  14. Polônia
  15. Alemanha
  16. Bélgica
  17. Estados Unidos
  18. Hungria
  19. Eslováquia
  20. Rússia
  21. Suécia
  22. República Tcheca
  23. Áustria
  24. Itália
  25. França
  26. Noruega
  27. Portugal
  28. Espanha
  29. Israel
  30. Bulgária
  31. Grécia
  32. Romênia
  33. Chile
  34. Turquia
  35. Argentina
  36. Colômbia
  37. Tailândia
  38. México
  39. Brasil
  40. Indonésia
Para Michael Barber, consultor-chefe da Pearson, as nações que figuram no topo da lista valorizam seus professores e colocam em prática uma cultura de boa educação.
Ele diz que no passado muitos países temiam os rankings internacionais de comparação e que alguns líderes se preocupavam mais com o impacto negativo das pesquisas na mídia, deixando de lado a oportunidade de introduzir novas políticas a partir dos resultados.
Dez anos atrás, no entanto, quando pesquisas do tipo começaram a ser divulgadas sistematicamente, esta cultura mudou, avalia Barber.
"A Alemanha, por exemplo, se viu muito mais abaixo nos primeiros rankings Pisa [sistema de avaliação europeu] do que esperava. O resultado foi um profundo debate nacional sobre o sistema educacional, sérias análises das falhas e aí políticas novas em resposta aos desafios que foram identificados. Uma década depois, o progresso da Alemanha rumo ao topo dos rankings é visível para todos".
No ranking da EIU-Person, por exemplo, os alemães figuram em 15º lugar. Em comparação, a Grã-Bretanha fica em 6º, seguida da Holanda, Nova Zelândia, Suíça, Canadá, Irlanda, Dinamarca, Austrália e Polônia.

Cultura e impactos econômicos

Tidas como "super potências" da educação, a Finlândia e a Coreia do Sul dominam o ranking, e na sequência figura uma lista de destaques asiáticos, como Hong Kong, Japão e Cingapura.
Alemanha, Estados Unidso e França estão em grupo intermediário, e Brasil, México e Indonésia integram os mais baixos.
O ranking é baseado em testes efetuados em áreas como matemática, ciências e habilidades linguísticas a cada três ou quatro anos, e por isso apresentam um cenário com um atraso estatístico frente à realidade atual.
Mas o objetivo é fornecer uma visão multidimensional do desempenho escolar nessas nações, e criar um banco de dados que a Pearson chama de "Curva do Aprendizado".
Ao analisar os sistemas educacionais bem-sucedidos, o estudo concluiu que investimentos são importantes, mas não tanto quanto manter uma verdadeira "cultura" nacional de aprendizado, que valoriza professores, escolas e a educação como um todo.
Daí o alto desempenho das nações asiáticas no ranking.
Nesses países o estudo tem um distinto grau de importância na sociedade e as expectativas que os pais têm dos filhos são muito altas.
Comparando a Finlândia e a Coreia do Sul, por exemplo, vê-se enormes diferenças entre os dois países, mas um "valor moral" concedido à educação muito parecido.
O relatório destaca ainda a importância de empregar professores de alta qualidade, a necessidade de encontrar maneiras de recrutá-los e o pagamento de bons salários.
Há ainda menções às consequências econômicas diretas dos sistemas educacionais de alto e baixo desempenho, sobretudo em uma economia globalizada baseada em habilidades profissionais.

fonte: http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/11/121127_educacao_ranking_eiu_jp.shtml

domingo, 25 de novembro de 2012

Prêmio Inovação em Gestão Educacional - Trombudo Central


Dos dias 19 a 23 de novembro de 2012, estivemos em Brasília para a formalidade do recebimento do prêmio que foi conquistado com todo o grupo de trabalhadores de Educação de Trombudo Central. Digo formalidade, porque quem realmente foi premiada foram as nossas Instituições de Educação, todos os profissionais que se envolveram no projeto, que estudaram, planejaram  e principalmente colocaram este grande projeto em prática, a maestria de envolver toda  a  comunidade escolar. Nossas crianças são as grandes vencedoras, conseguimos transformar um modelo assistencialista em uma prática educativa que privilegia o educar e o cuidar, nosso trabalho faz  com que a sua infância seja respeitada e estimulada em todas as suas  linguagens e possibilidades, focados na ludicidade e no encantamento.
Os dias de formação e compartilhamento em Brasília, foram preenchidos por teoria e práticas maravilhosas. Tivemos o prazer de conhecer de perto outras nove práticas inovadoras de gestão que a sua forma e metodologia, fizeram um grande diferencial nos contextos onde estão implantadas. Todas  trouxeram consigo a possibilidade de serem replicadas,levando em consideração as peculiaridades locais.
Conhecer pessoas  realidade e pontos de vistas diferenciados sempre nos tornam melhores, nos fazem mais humanos, nos permitem conhecer e respeitar a diversidade deste país gigante de meu DEUS. Reafirmando velhas verdades e construindo novas. Eu  volto ainda mais envolvida com o processo educativo. Eventos desta natureza  com todas as suas trocas servem para inflamar  a chama de  amor a educação que muito cedo já esteve comigo. Intensificar o trabalho, estudar, dedicar-se, ser parceira efetiva e sempre mais atuante no processo de  continuidade e de criação de novas possibilidades  para a educação pública, este é o  firme  propósito. 

Felicidade é pouco para expressar o sentimento. 
Agradecimento é o que dá real sentido a este momento!
Muito obrigada a todos e a cada um!

Raros!


"...Em última instância, será como é e sempre foi:
as grandes coisas ficam para os grandes,
os abismos para os profundos,
as branduras e os tremores para os sutis e,
em resumo, as coisas raras para os raros."
(Friedrich Nietzsche)

Barbosa nega liminar


que questionava piso salarial de professores

19/11/2012 | 16:00
O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou liminar que pretendia alterar o regime de pagamento do piso nacional de professores. Governadores de seis estados – Mato Grosso do Sul, Goiás, Piauí, Rio Grande do Sul, Roraima e Santa Catarina – alegavam que o critério de reajuste era ilegal. A decisão de Barbosa é liminar, e a ação ainda será analisada no mérito.
O piso nacional dos professores foi criado com uma lei de 2008, declarada constitucional pelo STF em abril do ano passado. Um dos artigos da lei estipula que o piso deve ser atualizado anualmente em janeiro, segundo índice divulgado pelo Ministério da Educação.
Para os seis estados que acionaram o Supremo, a adoção de um critério da Administração Federal para o aumento da remuneração tem várias ilegalidades e agride a autonomia dos estados e municípios para elaborar seus próprios orçamentos.
Em sua decisão, Barbosa argumenta que a inconstitucionalidade da forma de reajuste já poderia ter sido questionada na ação julgada pelo STF em 2011, o que não ocorreu. “Essa omissão sugere a pouca importância do questionamento ou a pouco ou nenhuma densidade dos argumentos em prol da incompatibilidade constitucional do texto impugnado”.
Segundo o ministro, a lei prevê que a União complemente os recursos locais para atendimento do novo padrão de vencimentos, e a suposição de que isso não ocorrerá é um juízo precoce. “Sem a prova de hipotéticos embaraços por parte da União, a pretensão dos requerentes equivale à supressão prematura dos estágios administrativo e político previstos pelo próprio ordenamento jurídico para correção dos déficits apontados”, destacou Barbosa.
Autor: Agência Brasil

Undime apresenta sistema online do Memorial de Gestão



23/11/2012 | 13:49
A partir da próxima quarta-feira (28), o portal “Memorial da gestão da educação municipal” estará no ar. O site é uma ferramenta, criada pela Undime, que diz respeito ao Memorial de Gestão. Um documento que registra aspectos essenciais da gestão da secretaria de Educação de cada município. Para o dirigente que assumirá no ano seguinte, servirá de planejamento e avaliação das políticas municipais de educação adotadas.
O portal foi apresentado, nesta sexta-feira (23), em primeira mão, aos secretários de educação presentes no evento formativo do Prêmio Inovação em Gestão Educacional 2011, em Brasília. A presidenta da Undime Rio Grande do Sul, Marcia Adriana de Carvalho, explicou como vai funcionar o sistema e enfatizou a importância do instrumento. “Preencher o memorial é deixar um registro histórico do que a secretaria de Educação realizou e do que ainda precisa ser feito. É preciso entender que este é um documento importante para a construção de novas políticas públicas”.
A iniciativa é uma parceria entre Undime, Ministério da Educação, Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Unicef e Unesco. O objetivo é fazer com que os gestores criem o hábito de preencher o documento ao fim de cada gestão. Assim, as informações contidas no portal poderão servir de referência para o gestor que assumir. A coordenadora geral de redes públicas da Secretaria de Educação Básica do MEC (SEB/ MEC), Clélia Mara Santos, pediu aos gestores presentes que repassassem as informações sobre o Memorial de Gestão aos demais dirigentes. “Trata-se de uma ferramenta muito importante. Por isso, quando chegarem aos seus municípios conversem com os secretários dos municípios mais próximos e os incentivem a fazer o Memorial”, reforçou.
O portal – O sistema é fácil de ser acessado. Basta fazer o cadastro inicial e começar a preencher os dados. O documento contém indicadores e itens referentes a: Gestão Escolar; Formação de Professores e Profissionais de Serviço e Apoio Escolar; Lições aprendidas; Mapa da informações gerencias mais relevantes; Prática Pedagógicas e Avaliação; e Infraestrutura Física e Recursos Pedagógicos. Para entender melhor como funciona o sistema, criamos um passo a passo. Clique aqui para conferir.
A partir da quarta-feira (28) o portal poderá ser acessado neste endereço: memorialdagestao.undime.org.br
Autor: Undime

UNDIME NACIONAL


Prêmio Inovação 2011. Troca de experiência dos melhores projetos do país









20/11/2012 | 17:46
Até sexta-feira, a Undime vai participar, como integrante da Comissão Organizadora, do Prêmio Inovação em Gestão Educacional 2011. A terceira edição do Prêmio é coordenada pelo Inep e pela Secretaria de Educação Básica do MEC. Dez municípios das cinco regiões do país foram premiados e os representantes dos projetos vencedores estão trocando experiências entre si, em Brasília.
Abaixo estão as informações sobre os primeiros cinco municípios ganhadores.

Confira a matéria  completa:
http://undime.org.br/premio-inovacao-2011-troca-de-experiencia-dos-melhores-projetos-do-pais/


Da força do amor




“O amor é doação. Tudo o que contradiz a doação, machuca”.
O amor é uma das idéias mais revolucionárias, capaz de garantir condições de vida em segurança. O medo, valor tão propagado e vivenciado por conta da violência cotidiana, não pode nos apequenar diante dos desafios de sempre construir vida na dignidade, a partir de relações de respeito, consideração e apreço de um para com o outro. O medo nos protege e não irá nos desencorajar para a vivência e a convivência humana.

Nossa civilização “encaixotou” o afeto. O afeto estimula a criarmos as condições para nossa plena realização. O ser humano é um ser em construção, por isso mesmo exige investimentos afetivos a vida toda. O cuidado, como algo essencial e que constitui a nossa condição humana, deve ser resgatado se quisermos devolver à humanidade o verdadeiro sentido de sua existência.
                                                                      
Não sobrevivemos se não somos bem cuidados. Na escala dos seres vivos, somos os mais dependentes de todos. Saímos da barriga da mãe, caímos nos braços de uma família. Aos poucos vamos crescendo e nos integrando aos grupos sociais da escola, da vizinhança, dos amigos, dos colegas de trabalho. E cada fase de nossa vida exige que sejamos cuidados e que saibamos cuidar, da gente e dos outros.
A necessidade do cuidado e as carências afetivas, próprias do ser humano, não constituem nenhuma fraqueza. O que nos torna fortes e capazes de superar as contradições é a coragem de assumirmos nossas carências, pois estas é que nos desafiam para o crescimento e discernimento pessoal, afetivo e social. As relações que se constituem na partilha, na compreensão, na doação, na gratuidade e na confiança são oportunidades que muitos constroem por acreditarem que sua realização depende da integração, convivência e complementariedade a serem construídas junto com os outros. São também excelentes oportunidades de vivenciar a doação, pois vida existe se for compartilhada.

Redescobrir-se em permanente relação com os outros é a grande contribuição que cada um pode oferecer para a elevação de uma consciência de humanidade. Reconhecer e vivenciar valores como a solidariedade, a amizade, o amor, a partilha e a alteridade pode nos possibilitar um mundo com menos violentos e menos violentados.


A solução para os problemas de convivência social não passa pela construção de novos presídios e nem pelo endurecimento de nossas leis. A solução passa pela promoção da vida e da humanidade, através do cultivo de relações de respeito, amor e afeto. Passa também pela promoção da justiça. Romantismo? Não para os que acreditam que o amor é sempre maior do que o medo e a dor. O amor sempre foi a inspiração dos grandes mestres como Jesus Cristo, Madre de Calcutá, Gandhi, Dallai Lama, Chico Xavier e outros tantos mais. Aprendamos com eles se quisermos sobreviver plenamente realizados e livres.


Nei Alberto Pies, professor e ativista de direitos humanos.
Encaminhado por minha amiga Poliana Kalinca Will Eger
                                                       

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Para todos os meus queridos amigos!


Amigos 



Amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta
necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor,
eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o
amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que
tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus
amigos e o quanto minha vida depende de suas existências …

A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não
posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem
que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.
Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro,
embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro, noto que eles não tem
noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu
equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente,
construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.
Se todos eles morrerem, eu desabo!
Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.
E me envergonho, porque essa minha prece é, em
síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.
Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos,
cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando
daquele prazer …

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a
roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando
comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus
amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber
que são meus amigos!
A gente não faz amigos, reconhece-os.

Vinícius de Moraes