sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Um senhor toma o ônibus depois de comprar o jornal e o pôs embaixo do braço.
Meia hora mais tarde, desce com o mesmo jornal sob o mesmo braço.
Mas já não é o mesmo jornal, agora é um monte de folhas impressas
que o senhor abandona num banco de uma praça.
Apenas fica só no banco, o monte de folhas se torna outra vez um jornal,
até que um rapaz o vê, o lê, e o deixa convertido em um monte de folhas impressas.
Apenas fica só no banco, o monte de folhas se torna outra vez um jornal,
até que uma velha o encontra, o lê e o deixa convertido
em um monte de folhas impressas.
Depois o leva para sua casa e no caminho o usa para enrolar meio quilo de acelgas,
que é para o que servem os jornais depois destas excitantes metamorfoses.
J
(In Hist
úlio Cortázarórias de cronópios e de famas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Eu aguardo as sementes que você possa vir a lançar. Depois selecioná-las e plantar.